N. 211 -setembro/outubro (september/october) de 2019

Profile: Alessandro Abdala, bird illustrator.

   Entre algumas espécies registradas consumindo frutos de Goupia glabra: Selenidera piperivora.
he Purple-naped Lory.

Pág. 4:Observações ocasionais de frugivoria por aves em Goupia glabra (Goupiaceae) na Amazônia Central. Por Tomaz Nascimento de Melo.

   A pair of Slender-billed Parakeets with chicks (Enicognathus leptorhynchus). Photo: L. Tomiska/LPF.

Pág. 6: Parrot and parakeet breeding season: control of species and results. By Rafael Zamora Padrón.

 Violaceous Quail-Dove, Geotrygon violacea (Temminck, 1809). Vectorized photo. Author: Rafael M. Martins..

Page 8: Analysis of vocalizations of Geotrygon violacea (Aves: Columbiformes) in different regions of Brazil. Por Rafael Martos-Martins & Reginaldo José Donatelli.

Resumo. Os Columbídeos têm vocalizações inatas e altamente estereotipadas, e as vocalizações dessas espécies geralmente são chamadas de “coo”. Geotrygon violacea é um columbídeo florestal com ampla distribuição no Brasil, mas naturalmente rara em sua área de ocorrência. O objetivo deste estudo foi descrever o repertório vocal de Geotrygon violacea por meio de análise bioacústica. Analisamos 14 vocalizações da espécie obtidas em bancos de dados on-line e medimos parâmetros acústicos como: número de elementos analisados, duração de cada elemento, intervalo entre os elementos, frequências sonoras máximas e mínimas, pico de frequência e taxa de vocalização das gravações com mais de um elemento. O repertório vocal da espécie consiste em apenas um tipo de elemento que começa com uma frequência sonora mais alta que dura cerca de 1/3 do elemento e depois, nos 2/3 restantes, apresenta uma leve inflexão, caracterizada por uma frequência decrescente aos valores mínimos de frequência. O elemento que compõe a vocalização da espécie tem duração curta, em média 0,991s ± 0,135s e o intervalo médio entre esses elementos é de 3,129s ± 1,728s. Concluímos que o repertório vocal de Geotrygon violacea consiste em apenas um tipo de elemento que pode apresentar pequenas variações na duração e frequência em que é emitido. Com base em nossos dados, recomendamos a realização de novos estudos onde a função das vocalizações da espécie seja verificada através de experimentos de campo utilizando a técnica de playback.


Abstract. Columbids have innate and highly stereotyped vocalizations that are usually called “coo’s”. Geotrygon violacea is a forest columbid species with wide distribution in Brazil but naturally rare in its area of occurrence. The objective of this study was to describe the vocal repertoire of Geotrygon violacea through a bioacoustic analysis. We analyzed 14 vocalizations of the species obtained from online databases. Acoustic parameters were measured as: number of elements analyzed, duration of each element, interval between elements, maximum and minimum sound frequencies, peak frequency and vocalization rate of recordings with more than one element. The vocal repertoire of the species consists of only one type of element that starts at a higher sound frequency that lasts about 1/3 of the element and after, in the remaining 2/3, presents a slight inflection, characterized by a frequency drop to the minimum frequency values. The element that comprises the vocalization of the species has a short duration, (mean 0,991s ± 0,135s), and the mean interval between these elements is 3,129s ± 1,728s. We conclude that the vocal repertoire of Geotrygon violacea consists of only one type of element that may present slight variations in duration and the frequency at which it is emitted. From our data, we recommend that field experiments be conducted using playback to verify the function of the species vocalizations.


 Filhotes de Grallaria varia encontrados no ninho em forquilha de árvore no município de Salesópolis, SP. (Elvis Jesus).

Pág. 12: Aspectos reprodutivos do tovacuçu, Grallaria varia (Passeriformes: Grallariidae), no sudeste do Brasil. Por Felipe de Oliveira Passos, Ana Cecília de Paula Lourenço & Marco Aurélio Crozariol.

Resumo. O objetivo deste trabalho é contribuir com informações sobre a biologia reprodutiva do tovacuçu, Grallaria varia, através de dados coletados no município de Salesópolis, SP. Um ninho foi monitorado entre os dias 20 de dezembro de 2013 e 2 de janeiro de 2014, sendo observadas as seguintes características reprodutivas: local de construção do ninho, dimensões do ninho, materiais utilizados para sua confecção, coloração dos ovos e suas dimensões, características dos filhotes, período de ninhego e interações agonísticas. O ninho era do tipo cesto baixo/base/lateral, estava localizado em forquilha de árvore a 1,20 m do solo e mediu 97,5 x 75,5 mm de diâmetro interno e 95,3 mm de altura da câmara oológica. Foi construído com fibras vegetais, húmus e algumas folhas secas. Foram encontrados dois ovos de cor azul-esverdeados, com pesos de 12,7 e 12,6 g e medindo 35,6 x 28,4 mm e 36,6 x 29,4 mm, respectivamente. Não foi possível determinar o período de incubação. Após 24 h de vida os filhotes pesaram 25,5 e 27,1 g e estimamos que o período de ninhego seja de aproximadamente 12 dias.
Abstract. Here we contribute information on the reproductive biology of tovacuçu, Grallaria varia, through data collected in the city of Salesópolis, SP. A nest was monitored between December 20, 2013 and January 2, 2014 and observed the following reproductive characteristics: nest building site, nest size, materials used for its construction, egg color and size, characteristics of the young nestling, nesting period and agonistic interactions. The nest was of the low / base / lateral basket type, was located in a tree fork at 1.20m from the ground and measured 97.5 x 75.5 mm internal diameter and 95.3 mm height of the oologic chamber. It was built with vegetable fibers, humus and some dried leaves. Two blue-green eggs with weights of 12.7 and 12.6 g were found, measuring 35.6 x 28.4 mm and 36.6 x 29.4 mm, respectively. The incubation period could not be determined. After 24 hours of life the young nestling weighed 25.5 and 27.1g and we estimate that the period of nesting is approximately 12 days.

  Australian species in the community aviary. Photo L. Tomiska, LPF

Page. 18: Learning to fly. By Rafael Zamora Padrón.

  Dicas para diferenciar a garça-azul, Egretta caerulea, da garça-branca-pequena. Egretta thula.

Pág. 2o: Notas curtas: Diferenciando jovens da garça-azul, Egretta caerulea, de outras garças brancas brasileiras. Por Paulo de Tarso Sambugaro Santos & Cláudio Henrique Zawadzki.

   Indivíduo de Ixobrychus exilis fotografado na Foz do Rio do Peixe. Foto: Peter Mix.

Pág.22:  Primeiro registro do socoí-vermelho Ixobrychus exilis (Aves: Ardeidae) no oeste do estado de São Paulo, sudeste do Brasil. Por Peter Mix & Fábio Schunck.

 Predation on Helicops modestus by Nannopterum brasilianus. N. brasilianus emerging from a dive, carrying in its beak an adult H. modestus.

Pág. 23: Nidificação de Vanellus chilensis (Charadriiformes: Charadriidae) em telhado, no município de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Por Soraya Ribeiro, Dyessica Brasil
Machado & Camila Galvão.

   Juvenile Crested Eagle (Morphus guaianensis) interacting with a juvenile eight months old Harpy Eagle (Harpia harpyja) at nesting tree in Panama (N2). 17 Ju.2017.

Page 24: Photographic records of Crested Eagle Morphnus guianensis and Harpy Eagle Harpia harpyja interactions. By Francisca Helena Aguiar-Silva, Tânia Margarete Sanaiotti, Olivier Jaudoin, Rodolfo Portela Souza, Karla M. Aparicio U, Jorge M. de la O. Castro, Rogney Quibilan, Euriato Bainora.

  Leucism in Vireo gracilirostris, a species endemic to the Fernando de Noronha archipelago. This record was made on October 2, 2019, at the Forte Nossa Senhora dos Remédios (3°50’15.1”S, 32°24’35.3”W). Photo: Dr. João Soares Junior.

Pág. 26: First record of leucism in Vireo gracilirostris (Passeriformes: Vireonidae) in the Archipelago of Fernando de Noronha (Pernambuco, Brazil). By Ariane Campos Gouvêa, Cecilia Licarião Barreto Luna & Lisandra Lima Silva Bezerra.

   Guará (Eudocimus ruber) leucístico aproximando-se dos demais indivíduos adultos e um juvenil. Foto: Edgar Fernandez.

Pág.27:  Primeiro registro de guará, Eudocimus ruber (Pelicaniformes: Threskiornithidae), com leucismo na Baía de Guaratuba, Paraná, Brasil. Por Edgar Fernandez, Fabiano Cecílio da Silva & Juliana Quadros.

 Vanellus cayanus incubando. Foto: Pedro Lima.

Pág. 28: Contribuição sobre o comportamento reprodutivo de Vanellus cayanus (Charadriiformes: Charadriidae). Por Pedro Cerqueira Lima & Lindemberg Caranha de Sousa.

 

Pág. 29:  AOONLINE:

 Localização da Reserva Ecológica do Panga, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil e fitofisionomias encontradas na área (Cardoso et al. 2009).

Pág. 33: Estimativas de riqueza, composição de espécies e conservação de aves em uma área protegida no Cerrado brasileiro, sudeste do Brasil: uma aplicação das
listas de Mackinnon
. Por Eduardo França Alteff & Oswaldo Marçal Júnior
.

 
Tucano-de-bico-preto, Ramphastos vitellinus, classificada na categoria vulnerável (VU) segundo Birdlife International (2019). Crédito: Alex B.M. Rios.

Pág. 49: Aves da Área de Proteção Ambiental Morro do Macaco em Iporá, estado de Goiás, Brasil. Por Alex Batista Moreira Rios, Amanda Rodrigues de Araújo & Daniel Blamires.

Pág. 30:Rápidas.

Versão em inglês: D
imas Pioli / English version: Dimas Pioli


Veja: NOVIDADES

AOa> - SERVIÇOS - LINKS
Você pode enviar perguntas ou comentários sobre este site para ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS.
Send mail to ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS with questions or comments about this web site.
Última modificação (
Last modified): 09 julho, 2020