Casal de Falco femoralis ataca uma andorinha

Edwin O. Willis

Em um estudo minucioso conduzido a leste do México, Hector (1905) não encontrou o falcão-de-coleira (Falco femoralis Temminck, 1822) caçando andorinhas (Hirundinidae), nem encontrou citação na literatura sobre esse fato. Ele registrou a captura de muitas aves e insetos e sugeriu que outras espécies de falcões, que caçam com mergulhos no ar, são as únicas que podem capturar as andorinhas. Schubart, Aguirre e Sick (1965: p. 130) registraram insetos nos estômagos de dois indivíduos brasileiros deste falcão. Sick (1985: p. 223) assinalou aves e outros animais como presas, sem notar a caça de andorinhas.

A única vez que observei Falco femoralis caçando (exceto quando seguia uma boiada na Ilha de Marajó em setembro de 1967 e ocasionalmente seguindo o alastramento de incêndios nos campos e campos cerrados em outras localidades), eles atacavam uma andorinha. O sol começava a aquecer as andorinhas (provavelmente Alopochelidon fucata) que voavam bem alto às 10:00 horas na manhã nublada e fria de 14 de junho de 1984, no remanescente campo de Itirapina, Estado de São Paulo (22° 14'S, 42° 53'W, 725 m de altitude). Provavelmente as andorinhas ainda estavam lentas e sem muito alimento depois da noite fria. De repente, notei dois falcões, alto no céu, mergulhando alternadamente em direção a uma andorinha que tentava a fuga, perdendo altura a cada ataque. Este processo de mergulhos repetidos dos falcões em direção à andorinha em fuga, levava-os até um quilômetro de distância. Finalmente, a andorinha e um dos falcões caíram dentro do capim alto do campo, a 500 m de distância do observador. Após um minuto, o falcão elevou-se e voou com as costas para o observador de forma que não foi possível verificar se havia capturado a andorinha.

Este falcão, muitas vezes, caça rapidamente a pé (Hector 1985), de forma que a captura dentro do capim pode ter sucesso em algumas ocasiões.

Os dois falcões tiveram que mergulhar, entre eles, várias dezenas de vezes para tentar apanhar a andorinha e parece improvável que estas últimas valham este grande esforço, na maioria das vezes. Entretanto, poucas outras aves são visíveis no campo no inverno. Também, as andorinhas tendem a voar alto e lentamente e devem estar pouco alimentadas até que o sol aqueça os campos e os insetos iniciem sua atividade, de forma que talvez elas sejam mais suscetíveis a predação até tarde na manhã.

AGRADECIMENTOS

Agradeço à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) pelo apoio em 1984 aos trabalhos de campo sobre as aves no Estado de São Paulo.

SUMMARY

A pair of Falco femoralis attacked a swallow (probably Alopochelidon fucata). It may be that, on cold winter mornings, swallows fly slowly and are without food, increasing chances that falcons can catch them.

Referências Bibliográficas

Hector. D. P. 1905. The diet of the Aplomado Falcon (Falco femoralis in eastern Mexico. Condor 87:336-342

Schubart, O., A. C. Aguirre & H. Sick. 1965. Contribuição para o conhecimento da alimentação das aves brasileiras. Arq. Zool., S. Paulo 12:95-247.

Sick, H. 1985. Ornitologia Brasileira. 2 vols. Editora Univ. Brasília, Brasília. 827 p.

Departamento de Zoologia, UNESP

Caixa Postal 199

13.500 Rio Claro, Estado de São Paulo

 

AO - SERVIÇOS - LINKS