AVES E SELOS III

Guy Barat - França

Escalas na América do Sul - A Guiana

 

Situada em grande parte no hemisfério austral, a América do Sul se estende por cerca de 18.000.000 km Da ponta Gallinas na Colômbia até o Cabo Horn, 28.000 km de costas se desdobram, aquelas do Atlântico acolhem as embocaduras de rios gigantes: Paraná, Orenoco, Amazonas. A temperatura e quente e úmida, com exceção das regiões andinas e do sul do continente. A luxuriante vegetação tem seu apogeu na Amazônia e sobre o platô das Guianas. Aí estão os paraísos de uma fauna alada quando alguns exemplares vêm se oferecer à nossa admiração, muito raramente de alhures. Por tudo isso não se pode perder a oportunidade de descobrir estas jóias, estes belos selos da República da Guiana são um convite para viagem.

Denominações

1 - Tucano-de-bico-preto - Sulphur breasted Toucan (Ramphastos vitellinus)

2 - Tucano-grande-de-papo-branco - Red billed Toucan (Ramphastos tucanus)

3 - Araçari-de-Natterer -Natterers Toucanet (Selenidera nattereri)

4 - Araçari-de-colar- Banded Aracari (Pteroglossus torquatus)

5 - Araçari-miudinho -Green Aracari (Pteroglossus viridis)

6 - Surucuá-de-cauda-branca - Welcome Trogon (Pharomachus fulgidus)

7 - Surucuá-de-cabeça-dourada -Golden-headed trais Bearer (Pharomachrus auriceps)

8 - Quetzal (Pharomachus mocino)

9 - Balança-rabo-de-cauda-marrom - Rufus breasted Hermit (Glaucis hirsuta)

10 - Emerald chinned Hummingbird (Lepidopyga goudoti)

11 - Green crowned Brilliant, gênero Heliodoxa

12 - Ecuadorian pied-tail (Heliothrix barroti) 13 - Topázio-de-cauda-negra - Fiery Topaz (Topaza pyra)

14 - Beija-flor-preto-e-branco - Black Jacobin (Melanotrochilus fuscus)

15 - Topetinho-de-leque-canela - Tufted Coquette (Lophornis ornata).

 

Um pouco de história. Nos séculos dezessete e dezoito, o platô das Guianas foi conquistado definitivamente pela França, pela Holanda e pela Inglaterra. Caiena foi fundada em 1643 e, em 1667, Colbert fez da Guiana Francesa uma colônia. Por seu lado os holandeses repeliram os ingleses sobre o território do futuro Suriname. Apesar de tudo, os ingleses são reconhecidos possessores da Guiana britânica em 1814. Em 1928 esta é outorgada de uma constituição e independência sob o nome de República da Guiana (1966), um estado soberano do Commonwealth.

País de 215 mil quilômetros, a metade de França, a Guiana está delimitada a Oeste pela Venezuela, ao Este pelo Suriname, ao Sul pelo Brasil, o Norte pelo Atlântico. População estimada é de 900 mil habitantes, dos quais 180 mil na capital, Georgetown. Pouco tocada pelo turismo, a Guiana conta com plantações importantes na costa atlântica (cana de açúcar, cacau, arroz, borracha, café). A principal riqueza é o mineral do alumínio, a bauxita. Mais de 85% do território está ocupado por florestas densas. É lá, no meio de árvores e cipós gigantes, neste Inferno Verde exaltado por numerosos escritores, que se divertem e se reproduzem magníficas aves às quais desejamos um futuro preservado por muito tempo ainda.

Revista de detalhe, portanto, para selos interpostos, para espécies aladas decompondo todas as nuanças do arco-íris. Os grandes, inicialmente, tucanos e araçaris. Corpos drapeados de penas sedosas e brilhantes, prolongado por um bico enorme bem colorido e de uma leveza insuspeitável, os tucanos, aves arborícolas, banham-se nos cumes das árvores  o seio de uma alimentação rica e variada: grandes insetos vertebrados, passarinhos, lagartos...

Assim como este o tucano-de-peito-amarelo (Ramphastos vitellinus) 1 o escarlate do peito ilumina o negro intenso do corpo; segue o tucano-de-bico-avermelhado (Ramphastos tucanus) 2 de garganta mais pálida. Um representante dos araçaris (Selenidera nettereri) 3 e sua fêmea pertence a um grupo com dimorfismo sexual mais evidente. Enfim vem dois exemplares de araçaris, bico recurvado pela mandíbula superior encaixada: o araçari-de-colar (Pteroglossus torquatus) 4 e o araçari-verde (Pteroglossus viridis) 5.

Outras esplêndidas espécies de tamanho médio, os Trogons ou Courocou, palhetas de verde e de azul com extraordinárias incrustações vermelhas. Admiramos o Quetzal com cauda bordeada de branco (Pharomachrus fugidus) 6 , despreocupadamente esticado no meio da folhagem; o Trogon-de-cabeça-dourada (Pharomachrus auriceps) 7,de plumas flexíveis e lanceoladas; enfim, apesar de pouco representado na Guiana, o emblema vivo da Guatemala, a ave-deus, o Quetzal (Pharomachrus mocino) 8.O selo é uma reprodução de um célebre desenho de John Gould e William Hart. Para poder representar a ave grandeza natural, o ornitólogo inglês do último século teve a astúcia de mostrá-la com cauda curvada sobre o dorso, dobrando-se contra a fêmea. Imagem tenra e idílica de um mundo ainda virgem de toda intrusão humana. Bela homenagem filatélica oferecida ao público.

Em seguida vêm sete selos mostrando uma gama de beija-flores típicos das Guianas. Alguns um pouco opacos, mas também protegidos dos perigos silvestres: um beija-flor balança-rabo-de-cauda-marrom (Glaucis hirsuta) 9 ave-mosca do grupo das Emeraudes (Lepidopyga goudoti) 10, um brilhante, gênero (Heliodoxa) 11; um beija-flor-do-Equador (Heliothrix barroti) 12, curiosamente introduzido na fauna guianense. Aqui está, suspenso por invisíveis fios, uma das mais belas aves representantes dessas bem pequenas espécies tropicais. Topázio-de-cauda-negra (Topaza pyra) 13<D>;um magnífico beija-flor-preto-e-branco (Melanotrochilus fuscus) 14. Enfim, para fechar a série, um insólito topetinho-de-leque-canela (Lophornis ornata) 15 com duas flechas luminosas fixadas no pescoço.

De belos desenhos, são selos contrastados para um possível iniciante de coleção. Ele deve começar um dia: Prá quê mais maravilhosos em efeito, que reunir essas riquezas sob forma de álbum e de partilhar esta paixão. Grande família, o mundo filatélico precisa que se acolham novos membros. A ornitologia sua será, evidentemente, um belo cartão de visita

__________________

Tradução: PSF

©Revista CDE, março ‘95.

 

AO - SERVIÇOS - LINKS