Notulae et Corrigenda V

 

Quais são as aves brasileiras que recentemente deixaram de ser espécies endêmicas do Brasil ?

 

José Fernando Pacheco - Rio de Janeiro

 

Durante os últimos meses revisando e atualizando a nova edição da obra magna de Helmut Sick (1910-1991), Ornitologia Brasileira, deparei-me com a questão das espécies endêmicas do Brasil, aves conhecidas exclusivamente do território brasileiro, que aparecem no corpo do livro especialmente assinaladas através de uma abreviatura ‘En’ e ainda, de forma destacada, numa tabela existente na parte introdutória. Curiosamente o número de espécies endêmicas é o mesmo, tanto na primeira edição (1985. Ornitologia Brasileira, uma introdução. 2 vols. Brasília: Ed. Univ. Brasília: página 69) quanto na edição americana (1993. Birds in Brazil. Princeton: Princeton Univ. Press: página 66), ou seja, 177 espécies, embora 10% sejam diferentes se cotejarmos uma tabela com a outra.

Para atualizar a nova lista de espécies endêmicas do Brasil, incluí as novas espécies descritas para o Brasil nos últimos anos (n=8), raças geográficas recentemente elevadas à categoria de espécie (n=12) e algumas outras omitidas nas edições anteriores do livro, por lapso (n=8), que possuem distribuição conhecida limitada apenas ao território brasileiro. A metade das espécies recém descritas são provenientes do Estado da Bahia e a metade das "novas" espécies, que eram antes consideradas apenas raças geográficas de outras espécies, são restritas a determinados setores da Mata Atlântica.

Essas espécies endêmicas do Brasil deixam de ser estritamente brasileiras, logicamente, no momento em que são encontradas em outros países. O incremento da pesquisa ornitológica nos últimos dez anos em países mal conhecidos a nível da avifauna, sobretudo Bolívia e Paraguai, determinou numa "perda" de várias espécies endêmicas da nossa rica avifauna. A intensificação da pesquisa na Bolívia foi responsável pelo registro de várias espécies de aves restritas à Amazônia meridional e ao cerrado. O contrário, diga-se aqui, também aconteceu especialmente no Acre e Rondônia onde equipes de pesquisadores do Museu Paraense Emílio Goeldi de Belém e do Museu de História Natural, o "Field Museum", de Chicago nos últimos anos encontraram várias espécies restritas ao sudoeste amazônico que ainda não haviam sido assinaladas no Brasil.

Apresento a seguir três relações de grupos de espécies de aves "ex-endêmicas" brasileiras e a fonte bibliográfica que resultou nessa "perda". No grupo A estão as espécies consideradas endêmicas por Sick que foram registradas nos países vizinhos depois de 1985, no grupo B as espécies que embora tenham sido consideradas como endêmicas possuíam registros anteriores a 1985. No grupo C estão as "espécies" que deixaram de ser endêmicas devido a mudanças no tratamento taxonômico acompanhadas da fonte publicada desta proposição. Um total de 39 espécies "deixaram de ser endêmicas" entre a edição de 1985/ 1993 e a presente revisão, mas o saldo continua positivo para o Brasil: ainda existem 182 espécies atualmente enquadradas nesta categoria contra 177 das duas contagens anteriores.

 

Grupo A: espécies "ex-endêmicas" do Brasil encontradas nos países indicados, conforme registros publicados após 1985.

 

Pyrrhura perlata (Tiriba-pérola)

Bolívia: Bates, J. M., M. C. Garvin, C. G. Schmitt & D. S. Schmitt.1989. Notes on bird distribution in the Parque Nacional Noel Kempf Mercado, extreme northeastern Depto. Santa Cruz, Bolivia. Bull. B. O. C. 109:236-44.

Amazona xanthops (Papagaio-galego)

Bolívia: Remsen, J. V., Jr., M. A. Traylor, Jr. & K. C. Parkes. 1986. Range extensions for some Bolivian birds, 2 (Columbidae to Rhinocryptidae). Bull. B. O. C. 106:22-32.

Triclaria malachitacea (Sabiacica)

Argentina: Rumboll, M. A. E. 1990. Tres aves nuevas para la Argentina. Nuestras Aves 22:28.

Nyctibius leucopterus (Urutau-de-asa-branca)

Guiana: Parker, T. A., III, R. B. Foster, L. H. Emmons, P. Freed, A. B. Forsyth, B. Hoffman & B. D. Gill. 1993. A biological assessment of the Kanuku mountain region of Southwestern Guyana. Washington, D. C.:Conservation International. (RAP Working Papers, 5)

Galbula cyanicollis (Ariramba-da-mata)

Bolívia: Armonía. 1995. Lista de las aves de Bolivia. Santa Cruz de la Sierra: Asociación Armonía.

Capito dayi (Capitão-de-bigode-de-cinta)

Bolívia: Bates et al. 1989. op. cit.

Pteroglossus bitorquatus (Araçari-de-pescoço-vermelho)

Bolívia: Cabot, J., J. Castroviejo & V. Urios. 1988. Cuatro nuevas especies de aves para Bolivia. Doñana, Acta Vertebrata 15:235-37.

Herpsilochmus longirostris (Chorozinho-de-bico-comprido)

Bolívia: Davis, T. J. & J. O. O’Neill. 1986. A new species of antwren (Herpsilochmus: Formicariidae) from northern Peru, with comments on the systematics of the other members of the genus. Wilson Bull. 98:337-52.

Cercomacra carbonaria (Chororó-do-rio-branco)

Guiana: Forrester, B. C. 1995. Brazil’s northern frontier sites: in search of two Rio Branco endemics. Cotinga 3: 51-53. (Nas entrelinhas está mencionado o registro de D. Finch em janeiro de 1993 para a Guiana).

Geobates poecilopterus (Andarilho)

Bolívia: Bates, J. M., T. A. Parker III, A. P. Capparella & T. J. Davis. 1992. Observations on the campo, cerrado and forest avifaunas of eastern Dpto. Santa Cruz, Bolivia, including 21 species new to the country. Bull. B. O. C. 112: 86-98.

Poecilurus [=Synallaxis] kollari (João-de-barba-grisalha)

Guiana: Forrester 1995. op. cit.

Hylocryptus [=Automolus] rectirostris (Furra-barreira)

Paraguai: Storer, R. W. 1989. Notes on Paraguayan birds. Occ. Pap. Mus. Zool., Univ. Michigan 719:1-21.

Hemitriccus minor (Maria-sebinha) Bol.

Bolívia: Bates et al. 1989. op. cit.

Hemitriccus minima [=aenigma] (Maria-mirim)

Bolívia: Bates et al. 1992. op. cit.

Hemitriccus obsoletus (Maria-catraca)

Argentina: Finch, D. W. 1991. Novedades ornitologicas argentinas. Nuestras Aves 24:25.

Neopelma pallescens (Fruchu-do-cerradão)

Bolívia: Bates et al. 1992. op. cit.

Pipra nattereri (Uirapuru-de-chapéu-branco)

Bolívia: Bates et al. 1989. op. cit.

Odontorchilus cinereus (Cambaxirra-cinzenta)

Bolívia: Bates et al. 1989. op. cit.

Sporophila falcirostris (Cigarra-verdadeira)

Argentina: Navas, J. R. & N. A. Bó. 1987. Sporophila falcirostris, nueva especie para la Argentina. Neotropica 90:96.

Paraguai: Ridgely, R. S. & G. Tudor. 1989. The Birds of South America. Vol. 1, The Oscine Passerines. Austin: University of Texas Press.

 

Grupo B: espécies - por lapso - consideradas "endêmicas do Brasil" com [algum dos] registros publicados nos países indicados antes de 1985.

 

Streptoprocne biscutata (Andorinhão-de-coleira-falha)

Argentina: Olrog, C. C. 1979. Nueva Lista de la avifauna argentina. Tucuman: Fund. Miguel Lillo. (Opera Lilloana 27).

Melanotrochilus fuscus (Beija-flor-preto-e-branco)

Paraguai: Cólman, A. & N. Pérez. 1991. Registro de nuevas especies de aves para el Paraguay. P.33 In: Encuentro de Ornitología de Paraguay, Brasil y Argentina. (E. Acosta, ed.). Ciudad del Este: Itaipú Binacional, Universidad Nacional de Assunción.

Argentina: Olrog 1979. op. cit.

Uruguai: Barattini, L. P. 1945. Las aves de Paysandú. Anales Lic. Deptal. Pays. 1:1-53.

Baillonius bailloni (Araçari-banana)

Paraguai: Bertoni, A. de W. 1919. Especies de aves nuevas para el Paraguay. Hornero 1:255-58.

Argentina: Olrog, C. C. 1963. Lista y distribucion de las aves argentinas. Tucuman:Universidad Nacional de Tucuman. (Opera Lilloana, 9)

Sclerurus scansor (Vira-folhas)

Argentina: Sclater, P. L. & W. H. Hudson 1888. Argentine Ornithology. Vol. 1. London: R.H. Porter.

Paraguai: Bertoni A. de W. 1901. Aves nuevas del Paraguay. Catálogo de las aves del Paraguay. Anal. Cient. Parag. 1:1-216.

Thamnophilus torquatus (Choca-de-asa-vermelha)

Bolívia: Hellmayr, C. E. 1921. Review of the birds collected by Alcide d’Orbigny in South America. Part 1. Novit. Zool. 28: 171-213. Situa taxonomicamente e geograficamente antigo registro de d’Orbigny & Lafresnaye de 1837.

Myrmotherula iheringi (Choquinha-de-ihering)

Peru: Munn, C. A. & J. W. Terborgh. 1979. Multi-species territoriality in neotropical foraging flocks. Condor 81:338-47.

Mionectes rufiventris (Abre-asa-de-cabeça-cinza)

Paraguai: Bertoni 1901. op.cit.

Argentina: Dabbene, R. 1910. Ornitologia Argentina. Anal. Mus. Nac. Buenos Aires 2:1-513.

Cyanocorax cristatellus (Gralha-do-campo)

Paraguai: Laubmann, A. 1939. Wissenschaftliche Ergebnisse der deutschen Gran Chaco Expedition. Part 2. Die Vögel von Paraguay. Stuttgart: Strecker and Schroder.

Bolívia: Bates et al. 1992. op. cit.

Hylophilus amaurocephalus (Vite-vite-de-olho-cinza)

Bolívia: Olrog, C. 1963. Notas sobre aves bolivianas. Acta Zool. Lilloana 19:407-78. Inclui registro para H. poicilotis (sensu amaurocephalus)

 

Grupo C: espécies "ex-endêmicas" do Brasil devido a alteração no tratamento taxonômico: algumas sinonimizadas e outras tornadas subespécies de formas existentes, segundo referência de suporte.

 

Threnetes loehkeni (Beija-flor-bronzeado)

Tratada como subespécie de T.leucurus, segundo F. C. Novaes (1974. Ornitologia do Território do Amapá. I. Publ. Avuls. Mus. Paraense E. Goeldi. No. 25) e C.Hinkelmann (1988b. Comments on recently described new species of hermit hummingbirds. Bull. B. O. C. 108:159-69.)

Threnetes grzimeki (Balança-rabo-de-garganta-preta)

Indiscutivelmente, refere-se ao imaturo de Glaucis hirsuta, segundo F. Vuilleumier, F. & E. Mayr. (1987. New species of birds described from 1976 to 1980. J. Orn. 128: 137-50.) e C.Hinkelmann (1988b. op.cit.)

Threnetes cristinae (Balança-rabo-bronze)

Sinônimo de T. leucurus loehkeni segundo C.Hinkelmann (1988b. op.cit.)

Phaethornis margarettae (Rabo-branco-da-mata-klabin)

Considerado subespécie de P. superciliosus/ malaris segundo C.Hinkelmann (1988b. op.cit.) e C. Hinkelmann (1989. Ammerkungen zu ,,Phaethornis margarettae" anderen nicht validen neu beschriebenen Kolibriaten. Trochilus 10:64-70.)

Phaethornis nigrirostris (Balança-rabo-de-bico-preto)

Sinônimo de P. eurynome segundo Mayr, E. & F. Vuilleumier. (1983. New species of birds described from 1966 to 1975. J. Orn. 124: 217-32.) e C.Hinkelmann (1988b. op.cit.)

Phaethornis maranhaoensis (Rabo-branco-do-maranhão)

Considerada a descrição do macho de P. nattereri, segundo C. Hinkelmann (1988a. On the identity of Phaethornis maranhaoensis Grantsau, 1968 (Trochilidae). Bull. B. O. C. 108:14-19.).

Myrmeciza stictothorax (Formigueiro-de-peito-pintalgado)

Considerado como variante individual de M. atrothorax segundo T. S. Schulenberg & D. F. Stotz. (1991. The taxonomic status of Myrmeciza stictothorax (Todd). Auk 108:731-33.)

Xiphocolaptes franciscanus (Arapaçu-de-bico-preto)

Tratada como subespécie de X. falcirostris segundo D. M. Teixeira (1990. Notas sobre algumas aves descritas por Emilie Snethlage. Bol. Mus. Nac. Rio de Janeiro, Zool., nova sér. No.337)

Xiphorhynchus eytoni (Arapaçu-vermelho-do-rio-amazonas)

Reconsiderado como subespécie de X. guttatus segundo R. S. Ridgely & G.Tudor (1994. The birds of South America Vol. 2, The Suboscine Passerines. Austin: University of Texas Press).

Serpophaga araguayae (João-pobre-canela)

Sinônimo de Myiopagis caniceps segundo J. M. C. da Silva (1990. A reavaluation of Serpophaga araguayae Snethlage, 1928 (Aves: Tyrannidae). Goeldiana, Zoologia no. 1)

Poecilotriccus tricolor (Sebinho-preto-e-branco).

Sinônimo de P. capitalis segundo R. S. Ridgely & G.Tudor (1994. op. cit). Embora não conste da tabela de endêmicos de Sick (1993.op. cit.) está assinalado como endêmico no texto da espécie.

 

Pela colaboração através de sugestões e revisão do texto e informações sou grato aos colegas Luiz P. Gonzaga e Claudia Bauer da mesma instituição.

 

UFRJ- Instituto de Biologia, Depto. de Zoologia, Laboratório de Ornitologia, CCS Cidade Universitária, 21944-970 - Rio de Janeiro - RJ, Brasil

 

AO - SERVIÇOS - LINKS