Edição Número 74- Novembro/Dezembro de 1996 - Pág. 2 - ISSN 0104-2386

Abstract of AO Number 74 - P.2 - November/December 1996


Variabilidade Genética em Cracídeos e Monitoramento de Populações Reintroduzidas em Áreas Reflorestadas

 

Sérgio Luiz Pereira - São Paulo-SP

 

Resumo

 

No presente trabalho foi estudada a variabilidade genética de seis espécies de cracídeos (Crax blumenbachii, C. fasciolata, Nothocrax urumutum, Penelope obscura bronzina, P. superciliaris jacupemba e Pipile jacutinga) utilizando sondas de minissatélites humanas 33.6 e 33.15, desenvolvidas por Jeffreys et al. (1985a).

As amostras de sangue foram coletadas de espécimes em cativeiro e de populações de Penelope sp que se estabeleceram em áreas reflorestadas em Paraibuna, SP, onde houve reintrodução destas espécies a partir de 1986 pela CESP.

A variabilidade genética foi estimada a partir dos coeficientes de bandas em comum (CBC) e através da heterozigosidade média detectada.

Os padrões obtidos mostraram-se altamente variáveis e específicos para cada indivíduo em todas as espécies estudadas com qualquer uma das sondas utilizadas, porém a sonda 33.6 revelou maior variabilidade para quatro das espécies.

Duas das espécies estudadas (Crax blumenbachii e Pipile jacutinga) são consideradas como ameaçadas de extinção. A variabilidade genética estimada a partir de indivíduos não aparentados em cativeiro revelou-se semelhante à encontrada em populações naturais de aves não ameaçadas.

Em cinco das espécies estudadas, cerca de 17% das bandas detectadas por uma das sondas também foi detectada pela segunda e por este motivo a análise foi realizada separadamente para cada uma das sondas.

O coeficiente de bandas em comum foi maior entre indivíduos com parentesco conhecido do que entre indivíduos considerados como não aparentados, conforme esperado.

O estudo de segregação de bandas paternas e maternas em irmandades de cinco (Penelope obscura bronzina) e sete filhotes (Pipile jacutinga) revelou que cada uma das sondas detectou pelo menos nove locos de segregação independente, número este considerado como adequado para estudos populacionais e de identificação individual.

Houve possibilidade de confirmar a filiação alegada de 14 filhotes e rejeitar a filiação em dois casos nos quais provavelmente houve um engano de registros.

Para a análise das populações que se estabeleceram na área reflorestada pela CESP comparou-se os índices de similaridade genética dos indivíduos de vida livre com cinco matrizes que contribuíram com mais de 50% dos descendentes que foram liberados e com cinco indivíduos que não tiveram nenhuma contribuição para estas solturas. Os índices estimados revelaram que as populações das aves reflorestadas das duas espécies são resultantes das reintroduções realizadas. Apesar da menor variabilidade genética detectada nestas populações, atribuída ao pequeno número de fundadores, estas populações vêm se estabelecendo e repovoando a região indicando, até o momento, o sucesso do programa de reintrodução realizado.

Os resultados deste trabalho mostraram que as técnicas utilizadas são apropriadas para o monitoramento da variabilidade genética de programas de criação em cativeiro e de populações que se estabeleceram após solturas. São também apropriadas para estimar a variabilidade genética de populações ameaçadas da natureza.

 

Tese defendida em 15/08/1996, no Departamento de Biologia do Instituto de Biociências da USP-São Paulo.

Esse trabalho foi realizado sob orientação da Prof. Dra. Anita Wajntal

AO - SERVIÇOS - LINKS