Edição Número 79- SETEMBRO/OUTUBRO de 1997 - Pág. 14 -ISSN 0104-2386

AO Number 79 - September/October 1997 - P.14

 

Análise ecológica e biogeográfica da avifauna de dois remanescentes florestais do Estado do Espírito Santo

Duze Maria Ribeiro Fortaleza – Vitória-ES

Resumo

Foram estudadas em 300 horas de observação, distribuídas nas estações chuvosa e seca, as comunidades de aves de duas reservas biológicas (REBIO) do estado do Espírito Santo, sudeste do Brasil. Ambas as reservas localizam-se no domínio da Mata Atlântica, cada uma num tipo distinto deste bioma: REBIO Sooretama em Mata Atlântica de tabuleiro e REBIO Augusto Ruschi em Mala Atlântica de encosta. Foram registradas 316 espécies de aves para as duas localidades, na sua maior parte florestais (218 espécies; 69%). 0 número de espécies florestais foi similar entre as localidades (143 e 136), mas a REBIO Sooretama foi muito mais rica em espécies não florestais 92 e 40). O índice de similaridade qualitativo de avifauna entre as localidades foi baixo (30%), diminuindo para as espécies florestais (28%) e aumentando para as não florestais (34,7%). Uma análise envolvendo 17 guildas demonstrou que a avifauna florestal, entre as localidades, é similar ecologicamente. Espécies não florestais, ao contrário, são mais representadas em Sooretama devido à maior disponibilidade de ambientes não florestais frente à REBIO Augusto Ruschi. A baixa similaridade em composição de espécies florestais é explicada por fatores biogeográficos, como a maior representatividade de espécies tropicais com ampla distribuição na REBIO Sooretama (65% da avifauna, contra 46,3% na REBIO Augusto Ruschi). Espécies endêmicas da porção sul (subtropical) da Mata Atlântica compõem quase 31% da avifauna da REBIO Augusto Ruschi, mas apenas 2% da REBIO Sooretama. Os resultados obtidos permitem concluir que os dois tipos básicos de Mata Atlântica reconhecidos no estado do Espírito Santo, Mata Atlântica de encosta e Mata Atlântica de tabuleiro, possuem, cada um, uma composição particular de avifauna, devido a processos geomorfoclimáticos de formação destas fitofisionomias. Não obstante, a riqueza da avifauna florestal nestas áreas é similar, indicando uma eqüidade na disponibilidade de recursos para as comunidades de aves.

Monografia apresentada ao Curso de Pós-graduação "Lato-Sensu" em Ecologia e Recursos Naturais da Univ. Fed. Espírito Santo, para obtenção de título de Especialista em Ecologia. Orientador: M.Sc. Alexandre Aleixo

 

 

AO - SERVIÇOS - LINKS
Você pode enviar perguntas ou comentários sobre este site para ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS.
Send mail to ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS with questions or comments about this web site.
Última modificação (Last modified): novembro 13, 2012