N.80 - Novembro/Dezembro (November/December) de 1997

Edição Número 80 - NOVEMBRO/DEZEMBRO de 1997 - Pág. 6 -ISSN 0104-2386

AO Number 80 - November/December 1997 - P.6

 

Seis novos registros de aves para o Estado de Minas Gerais

Ricardo Parrini & José Fernando Pacheco - Rio de Janeiro

Com a finalidade de divulgar novas ocorrências para o estado de Minas Gerais, fornecemos a seguir uma relação comentada de seis espécies. Tais adendas são inéditas na literatura ornitológica e, em caráter de contribuição, visam complementar a "Nova Lista de aves do estado de Minas Gerais" de G. T. Mattos, M. A. de Andrade e M. V. de Freitas (1993, Fundação Acangaú). Três espécies são representantes endêmicos do bioma da Mata Atlântica, duas são paludícolas de ampla distribuição e a outra é exclusiva do bioma da caatinga.

Garça-azul, Egretta caerulea

Um grupo de três indivíduos foi encontrado na Lagoa do Sossego, Mocambinho (15° 05’ S, 44°00’ W) por J. F. Pacheco, R. Ribon e G. T. Mattos em 15 de setembro de 1996. Esta lagoa está situada na margem direita do médio rio São Francisco, norte do estado e é parte integrante da área de 100.000 ha ocupada pelo Projeto Jaíba de irrigação agrícola. Geralmente, associada aos banhados do litoral e, sobretudo, aos manguezais esta garça tem sido raras vezes mencionada para o interior do Brasil.

Socoí-amarelo, Ixobrychus involucris

Um indivíduo foi observado ao levantar vôo de juncal existente nos arredores de Januária, médio rio São Francisco (15° 29’ S, 44°22’ W) por R. Parrini em 30 de julho de 1992. Embora possua uma distribuição espalhada pelo Brasil, especialmente fora da Amazônia, este pequeno socó, devido aos seus hábitos reclusos e ocorrência local, tem sido raramente assinalado.

Rabo-branco-de-cauda-larga, Phaethornis gounellei

Dois indivíduos foram observados por R. Parrini visitando flores de maracujá (Passiflora sp.), em vegetação alterada de caatinga na região de Janaúba (15° 48’S, 43°19’W), norte do estado, em 10 de julho de 1993. Por se tratar de espécie endêmica do bioma da caatinga este registro amplia o seu limite meridional de ocorrência.

Choquinha-de-asa-ferrugem, Dysithamnus xanthopterus;

Maria-catraca, Hemitriccus obsoletus

Essas duas espécies das florestas montanas tem sido regularmente encontradas pelos autores no lado mineiro do Parque Nacional do Itatiaia em cotas superiores a 1600m de altitude desde 1986, em terras pertencentes ao município de Itamonte.

Trovoada-de-Bertoni, Drymophila rubricollis

Própria dos taquarais da região serrana e planáltica da Mata Atlântica, recentemente validada por Willis (1988, Rev. Bras. Biol. 48:431-38) após estar longo tempo confundida com sua espécie gêmea D. ferruginea. Apesar de não ter sido reportada, até o momento, para Minas Gerais encontramos dois documentos de sua presença no referido estado. Uma fêmea coletada por Emilie Snethlage na Serra de Matapau, Ouro Preto em 30 de abril de 1926, depositada no Museu Nacional do Rio de Janeiro e, mais recentemente, outro indivíduo gravado no Parque Natural do Caraça, município de Santa Bárbara em 4 de novembro de 1974 por Aristides Pacheco Leão, conforme acervo do Arquivo Sonoro Elias Coelho da UFRJ.

 

UFRJ - Lab. Ornitologia, Depto. Zoologia, Inst. Biologia, CCS. 21944-970 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil.

 

AO - SERVIÇOS - LINKS
Você pode enviar perguntas ou comentários sobre este site para ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS.
Send mail to ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS with questions or comments about this web site.
Última modificação (Last modified): 14 nov 2012