N.84 - Julho/Agosto (July/August) de 1998

A avifauna da Caatinga do Estado da Bahia: composição e distribuição

Adriana Caetano Fiúza

Resumo de Tese

O estudo da distribuição geográfica de um grupo animal é uma etapa obrigatória na investigação de mecanismos de especiação e da origem da diversidade tropical, e para o estabelecimento de prioridades na conservação dos recursos biológicos. Dois fatores principais proporcionaram um maior desenvolvimento e um novo direcionamento dos estudos biogeográficos na região neotropical durante os últimos vinte anos: a constatação de que, ao contrário do que se imaginava, as regiões tropicais passaram por drásticas mudanças climatológicas e fisiográficas recentes, o que constituiu a base para a formulação da "Teoria dos Refúgios", e a integração da cladística e da biogeografia vicariante, a fim de se identificarem padrões históricos comuns na biota de uma determinada região. Apesar desses progressos, a distribuição dos elementos faunísticos ainda é pouco conhecida e nenhuma análise foi feita exclusivamente com as aves da Caatinga. Heyer, em 1988, já constatava que os esforços de coleta de aves têm-se concentrado muito mais, na América do Sul, nas regiões montanhosas e suas encostas, do que em regiões de baixa altitude; no entanto, a enorme proporção destas é uma das características que distinguem a região neotropical de todas as demais regiões zoogeográficas mundiais.

A partir da compilação dos dados distribucionais, disponíveis em literatura, acerca da avifauna registrada para a área de estudo. Deste total, as aves aquáticas e visitantes estão representadas por 66 espécies; o grupo de aves terrestres que se reproduzem nesse domínio está representado por 283 espécies.

A área de estudo apresenta um número de oito taxa endêmicos. A estes endemismos, somam-se os elementos restritos ao domínio morfo-climático da Caatinga, que possuem registros para a área de estudo; este grupo está representado por um total de 53 taxa, totalizando 61, mais 5 taxa de ocorrência restrita ao domínio da Caatinga não possuem registros para a área de estudo.

Dentre as espécies assinaladas para a área de estudo, 37 ocorrem na região, supostamente devido à existência de enclave de floresta ombrófila, 6 de campo rupestre e 1 de cerrado. Como se sabe, a caatinga é o domínio mais rico em enclaves, entre os diversos existentes no Brasil.

Existem espécies que não possuem registros publicados para a área de estudo, mas que foram observadas próximas ao seu limite, em ambiente de caatinga. Estas espécies (no total de 22) são consideradas como de provável ocorrência para a área em enfoque.

A partir dos resultados encontrados no presente estudo, sugere-se que algumas das proposições apresentadas em trabalhos anteriores (Müller – The dispersal centers of terrestrial vertebrates in the neotropical realm, Biogeographica, 1973; Haffer – Avian Zoogeography of the neotropical lowlands, Ornith. Monogr, 1985; Cracaft – Historical biogeography and patterns of differentiation within the South American avifauna: areas of endemism, Ornith. Monogr. 1985) sejam rediscutidas.

Dissertação apresentada à Coordenação de Pós-Graduação em Zoologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como parte dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Ciências Biológicas – Zoologia. Rio de Janeiro, 1966.

 

AO - SERVIÇOS - LINKS
Você pode enviar perguntas ou comentários sobre este site para ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS.
Send mail to ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS with questions or comments about this web site.
Última modificação (
Last modified): 04 março, 2014