Editorial

Intercâmbio para evoluir

A visível manifestação de interesse pelo "AO" tem condicionado uma maior participação que vai além-fronteiras e visa sempre o inteligente intercâmbio, fator revigorante para o amadurecimento da nossa ornitologia.

Usufruindo de uma abalizada colaboração de nomes de maior relevância no campo nacional e internacional, o tablóide vai, paulatinamente, atingindo sucessivas etapas de desenvolvimento, sempre estimulado pelos leitores que se multiplicam.

E, através dessas participação difusa, objetivando sempre a atualização nos diversos setores da ornitologia amadora, o tablóide espera ampliar sempre mais sua abrangência.


E a nova portaria do IBDF?

A expectativa dos criadores de pássaros silvestres se prolonga, enquanto ocorrem as constantes mudanças administrativas no Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal. Este órgão, que tem 2.700 funcionários (570 somente em Brasília), analisa, através do D.N. (Departamento de Parques Nacionais), na Divisão de Proteção à Natureza, as esperadas alterações.

AS POSSÍVEIS MUDANÇAS

O Dr. Américo Ribeiro Tunes, da Divisão de Proteção à Natureza, revela para "AO" que a atual orientação do órgão é "trabalhar junto aos criadores amadores registrados, em vez de reprimirem em cativeiro e deve-se adequar as nossas leis a uma situação realista".

A minuta em estudo propõe que o IBDF registre as Federações Ornitológicas; estas se responsabilizariam pelas suas Associações filiadas que, por sua vez seriam as responsáveis pelos seus sócios; a estes seriam fornecidos (pela Associação) documento de identificação, autenticado anualmente pelo IBDF. Com esta divisão de responsabilidades, às Associações caberia a apresentação de relatórios que possibilitariam um controle efetivo sobre pássaros e criadores brasileiros, permitindo assim melhor estudo para o desenvolvimento da nossa ornitologia. O transporte de pássaros (por ex. para participação de concursos, treinamentos etc.) deixaria de ter as dificuldades atuais: a Associação forneceria a relação de pássaros anilhados, que, junto a carteira especial, permitiria ao criador sua correta identificação junto aos órgãos de fiscalização.

A comercialização dos pássaros canoros nascidos em cativeiro (anilhados e devidamente registrados) seria regulamentada, num estímulo à captura na natureza, atividade que passaria a ter rígida fiscalização (a portaria também prevê situações dessas capturas, visando problemas genéticos).

Todas essas propostas foram devidamente analisadas junto às federações e aprovadas pela Divisão de Proteção à Natureza. Espera-se agora que os trâmites burocráticos e políticos não retardem ainda mais sua aprovação final.

A FEIRA DE CAXIAS

A famosa Feira de Caxias, no Rio, alvo de tantas e constantes críticas feitas na imprensa, é vista pelo Dr. Américo Torres como "um caso simples e severa repressão e fiscalização, com especial cuidado em investigar-se os fornecedores".

A Feira é considerada pelo Sr. Luís Cláudio Marigo (como "AO" já informou), "o forno crematório da nossa fauna".


Uma Ave-Símbolo verde-amarela

Há vários anos tem-se o Sabiá - Turdus rufiventris - como a AVE NACIONAL, assim como o IPÊ AMARELO - Tecoma chrysosticha - (Projeto de Lei 882/75) foi indicado para ser a FLOR NACIONAL do Brasil. Esta primeira escolha está sendo muito contestada no momento. O Prof. Helmut Sick (foto) revela para "AO": "Encaminhamos a nossa solicitação de um Decreto-Lei ao Presidente da República, fornecendo todas as informações necessárias. Houve uma confusão devido a Decretos anteriores que foram estimulados por Augusto Ruschi e Dalgas Frish, indicando o Sabiá como AVE NACIONAL, provocando completa incompetência no assunto.

O Sabiá Laranjeira não é uma ave endêmica; ela habita além do Brasil a Argentina, Paraguai, Bolívia e Uruguai.

Dois países - Suécia e Malta - têm o Sabiá como Ave Símbolo.

Uma Ave Nacional, para o Prof. Sick, deve ser um símbolo com forte cunho nacional e, para tanto, seria mais adequada uma espécie endêmica, exclusivamente brasileira. Para tanto, uma boa opção seria a GUARUBA (do tupi: guara = pássaro, yuba = amarelo), endemismo brasileiro de rara beleza, como as cores da bandeira brasileira, amarelo e verde.

Ele conta que na década de 60 encontrou a Ararajuba (Aratinga guaruba), em um grupo muito bom, nos viveiros do sr. Etienne Beraut, Rio de Janeiro, onde pode registrar a grande sociabilidade dessa ave. Em 77 ele teve a oportunidade de observá-la em seu habitat natural, nas matas do Maranhão.

O Prof. informa que já se encontra no prelo um artigo, com muitas iluistrações em cores, sobre a AVE NACIONAL.


Campeonatos mundiais

No último dia 23 de janeiro teve início em Viena, Áustria, a realização do 34º CAMPEONATO MUNDIAL DE ORNITOLOGIA, Hemisfério Norte. O próximo Campeonato da COM-HN será realizada em Malines, na Bélgica.

De 18 a 27 de junho a Confederação Ornitológica Mundial realizará o seu Campeonato do Hemisfério Sul, que ocorrerá no Parque da Água Funda, em São Paulo. Será o 24º Mundial, o 8º que se realiza no Brasil (6 vezes sediado em S. Paulo).

No último dia 26 de fevereiro foi realizada em São Paulo uma reunião da ABOA com todos os clubes filiados daquela cidade (UCRB, CCC, Roller Club, SANO, SOB e SOBC) onde formou-se um "pool" para organização dos Campeonatos Brasileiro e Mundial. Brevemente a ABOA deverá emitir circulares para todas as Associações filiadas e também para as federadas dos países participantes, prestando informações sobre o evento.


A Fenabico e os campeões de 85

A Federação Nacional dos Criadores de Bicudos e Curiós (Av. W4, Quadra 907 Sul-Mercado 03-70930, Brasília-DF) apresentou recentemente o resultado dos seus pássaros campeões de 1985, nas diversas modalidades.

BICUDOS. Modalidade FIBRA - "Sobe e desce" - Rio de Janeiro-RJ, CANTO - "Tom" - Catanduva-SP, CANTO E REPETIÇÃO - "Imperador", PEITO-DE-AÇO - "Matraca" - Goiânia-GO, CANTO LIVRE - "Bacana" - Brasília-DF.

CURIÓS, FIBRA - "Bola Sete" - Goiânia-GO, CANTO - "Raio de Sol" - Pirassununga-SP, CANTO COM REPETIÇÃO - "Águia Negra" - São Paulo- SP, PEITO-DE-AÇO - "Coqueiro" - Brasília-DF, CANTO LIVRE - "Lampião" - Brasília-DF. Pardo - "Mineirinho" - Rio de Janeiro-RJ.

A FBCCB ainda não apresentou o resultado geral dos pássaros campeões em 85.

As tabelas para os torneios deste ano deverão ser apresentadas em abril.


Novo logotipo para a ABOA

Brevemente a Associação Brasileira de Ornitologia Amadora terá um novo logotipo, A firma MPM já desenvolveu, com a promoção da ÉFFEM, vários modelos que estão sendo analisados para a aprovação.

A necessidade deste novo visual já é antiga; uma nova imagem virá reforçar o empenho para o desenvolvimento da ornitologia amadora brasileira.


Atividades da APO para 86

Um canário rodeado por aves estilizadas das culturas Pré-Incas (Mochica) é o novo logotipo da Associação Peruana de Ornitologia.

A programação para os próximos meses dessa Associação foi remetida para "AO" pelo seu Presidente, o Dr. Línder Lopez Cruzado.

De 24 de fevereiro a 2 de março: CURSO TEÓRICO-PRÁTICO DE CANARICULTURA E ORNITOLOGIA, para alunos principiantes.

De 3 a 9 de março: CURSO TEÓRICO-PRÁTICO DE CANARICULTURA E ORNITOLOGIA, para alunos adiantados.

De 3 a 11 de maio: IV CAMPEONATO DE CANÁRIOS E PERIQUITOS AUSTRALIANOS (Adultos) e XVII EXPOSIÇÃO DE CANÁRIOS E AVES ORNAMENTAIS na cidade de Arequipa.

De 6 a 13 de julho: XVII CAMPEONATO PERUANO DE ORNITOLOGIA E XVIII EXPOSIçÃO DE CANÁRIOS E AVES ORNAMENTAIS.

De 19 a 27 de julho, participação do XXIV CAMPEONATO MUNDIAL DE ORNITOLOGIA DO HEMISFÉRIO SUL, em São Paulo.

De 24 a 28 de setembro: II EXPOSIÇÃO DE CANÁRIOS E AVES ORNAMENTAIS, na cidade de Trujillo.

O Dr. Línder Lopez informa que, paralelamente a estes eventos, serão realizadas pequenas exposições e cursos em colégios e universidades, visando a divulgação e conscientização ornitológica naquele país.

Este ano já foi realizada, de 8 a 16 de fevereiro, a XVI EXPOSIÇÃO DE CANÁRIOS, PERIQUITOS e AVES ORNAMENTAIS.

 

 

AO - SERVIÇOS - LINKS