ao99

ISSN 0104-2386

N.99 - Janeiro/Fevereiro (January/February) de 2001

 

As aves do Espírito Santo do Príncipe Maximiliano de Wied

 

José Fernando Pacheco e Claudia Bauer – Rio de Janeiro-RJ

 

A avifauna do Espírito Santo foi a que menos atenção obteve, dentre as províncias do Sudeste brasileiro, durante o grande ciclo de explorações naturalísticas do séc. XIX. As contribuições deste período – fundamentais no processo descritivo das aves brasileiras – foram reunidas na obra de Pinto (1979:65-106), que embora sintética, constitui-se ainda hoje em fonte de consulta obrigatória para os interessados na matéria.

Uma parcela significativa da avifauna de São Paulo e Rio de Janeiro já havia sido reconhecida antes da chegada do século XX, em decorrência, sobretudo, dos notáveis resultados alcançados pelo naturalista austríaco Johann Natterer (Pelzeln 1870, Ihering 1899); por sua vez, Minas Gerais se beneficiou do clássico trabalho do zoólogo dinamarquês J. T. Reinhardt (1870) sobre a avifauna dos campos do Brasil.

Dentre os célebres naturalistas do início do Século XIX, apenas o Príncipe Maximiliano de Wied estivera no Espírito Santo, entre o final de 1815 e início de 1816, colecionando aves. Ao cruzar longitudinalmente a então província, através da região litorânea com destino à Bahia, Wied pode reunir os primeiros registros e dados ornitológicos. Seus resultados tornaram-se prontamente conhecidos na Europa com a publicação de suas obras (Wied 1820-21, 1830-33). Embora, alguns outros naturalistas como Saint-Hilaire, Descourtilz e Tschudi tenham igualmente percorrido o Espírito Santo (Rocha 1971) e possuam maior ou menor conexão com a ornitologia, os resultados específicos dessas campanhas não parecem ser passíveis de resgate.

O naturalista germânico Maximilian Alexander Phillip, Príncipe de Wied-Neuwied (1782-1867) realizou uma expedição pelo litoral do leste brasileiro entre agosto de 1815 e maio de 1817, com interesses especiais declarados pela zoologia e etnologia (Bokermann 1957, Pinto 1979, Berger 1995). Partindo do Rio de Janeiro em 4 de agosto, em companhia dos naturalistas Georg W. Freyress e Friedrich Sellow, na condição de assistentes, o Príncipe chegou às terras do Espírito Santo ainda no final de novembro do mesmo ano (Pinto In Wied 1940, Bokermann 1957). Em pouco mais de um mês, Wied atravessou todo o Espírito Santo, "naquele tempo coberto ainda de intérminas matas" (Bokermann 1957, Rocha 1971, Pinto 1979); esta travessia se deu, mais precisamente, entre 26 de novembro de 1815 e primeiros dias de janeiro de 1816. Considerando que Wied permanecera por mais de 15 meses na Bahia e quase quatro meses no Rio de Janeiro, as terras capixabas foram as que mais rapidamente foram exploradas.

É digno de nota e mesmo, surpreendente, o quanto foi apressada a passagem da expedição naturalística de Wied pelo Espírito Santo. Seu companheiro Sellow, que decidira em 19 de dezembro de 1815 ficar na retaguarda sozinho para herborizar na Fazenda Coroaba, perto da foz do rio Jucu, não longe de Vitória, quando Wied e o restante da comitiva seguiram para o norte, confessara ao seu amigo Ignaz Olfers, Secretário da Legação Alemã na Corte, posteriormente, em correspondência, "que não é fácil conciliar o interesse de uma viagem rápida com o de fazer boas coleções de material. Prefiro andar mais devagar para tirar maior proveito da viagem" (Rocha 1973).

Com resultados conhecidos (embora, parcialmente), consta que no século XIX, além de Wied (e seus ajudantes), apenas um outro naturalista ocupara-se da coleta de aves no Espírito Santo. Ferdinand Bernhard Müller (de Chemnitz, Saxônia, Alemanha) enviou ao Museu de Munique peles da região serrana de Domingos Martins (Braço do Sul) coletadas entre 1894 e 1898 (Hellmayr 1915, Bauer 1999). Assim, a despeito de sua rapidíssima passagem, Wied pode ser considerado o fundador da ornitologia capixaba.

Nesta nota, os autores tornam disponível, na tabela a seguir, uma relação (preliminar) das 84 espécies de aves coletadas ou observadas no Espírito Santo com respectivas localidades, a partir de informações constantes nas obras de Wied (Wied 1820-21, 1830-33, 1850, 1940, 1958):

 

Espécie

Referências

Localidades

Crypturellus noctivagus

Wied 1820,1833

Itabapuana, Itapemirim e Doce

Pilherodius pileatus

Wied 1820,1833

Itabapuana

Casmerodius albus

Wied 1940,1958

Itabapuana

Egretta thula

Wied 1940,1958

Itabapuana

Nyctanassa violacea

Wied 1833

Iritiba

Mesembrinibis cayennensis

Wied 1833

Itabapuana

Dendrocygna viduata

Wied 1820

Itabapuana, Quartel Barreiras

Cairina moschata

Wied 1820

Itabapuana

Amazonetta brasiliensis

Wied 1820

Itabapuana

Sarcoramphus papa

Wied 1830

Itapemirim

Elanoides forficatus

Wied 1820,1830

Ciri, Itapemirim, Araçatiba, Coroaba

Ictinia plumbea

Wied 1820,1830

Ciri, Barra do Jucu

Leucopternis lacernulata

Wied 1830

Barra do Jucu

Buteogallus urubitinga

Wied 1830

Itabapuana

Circus buffoni

Wied 1830

Itabapuana

Crax blumenbachii

Wied 1833

Rio Doce, Itapemirim, Itabapuana

Penelope superciliaris

Wied 1820

Aldeia Velha

Ortalis guttata

Wied 1833

Rio Doce

Laterallus viridis

Wied 1833

Rio Espírito Santo

Haematopus palliatus

Wied 1820

Foz do Itapemirim

Phaetusa simplex

Wied 1833

Rio Espírito Santo (Jucu, Iritiba)

Rynchops niger

Wied 1820,1833

Aldeia Velha, rio Doce, Rio Espírito Santo

Columbina talpacoti

Wied 1833

Rio Espírito Santo

Ara chloroptera

Wied 1820,1832

Linhares no rio Doce

Aratinga leucophthalmus

Wied 1832

Rio Doce

Aratinga aurea

Wied 1832

Rio Espírito Santo

Pyrrhura cruentata

Wied 1832

Rio Espírito Santo

Brotogeris tirica

Wied 1832

Rio Doce

Amazona farinosa

Wied 1832

Rio Itapemirim, Rio Doce

Amazona amazonica

Wied 1832

Rio Espírito Santo

Amazona rhodocorytha

Wied 1832

Rio Espírito Santo

Pionus menstruus

Wied 1820

Riacho Iriri

Touit surda

Wied 1832

São Matheo

Bubo virginianus

Wied 1830

Rio Itabapuana

Phaethornis ruber

Wied 1832

Barra do Jucu

Hylocharis cyanus

Wied 1832

Barra do Jucu

Anthracothorax nigricollis

Wied 1832

Barra do Jucu

Trogon viridis

Wied 1820

Rio Doce

Trogon collaris

Wied 1832

São Matheo

Ceryle torquata

Wied 1832

Rio Aldea Velha

Galbula ruficauda

Wied 1820

Vila Nova de Almeida

Monasa morphoeus

Wied 1832

Rio Espírito Santo

Melanerpes flavifrons

Wied 1832

Coroaba no rio Jucu

Leuconerpes candidus

Wied 1820, 1832

Rio Itabapuana

Celeus flavescens

Wied 1820

Rio Guaraparim

Campephilus robustus

Wied 1820

Rio Guaraparim

Xiphocolaptes albicollis

Wied 1831

Rio Espírito Santo

Dendrocincla turdina

Wied 1831

Rio Itabapuana

Certhiaxis cinnamomea

Wied 1831

Muribeca, rio itabapuana

Xenops rutilans

Wied 1831

Muribeca, rio itabapuana

Sclerurus scansor

Wied 1831

Rio Itabapuana

Hypoedaleus guttatus

Wied 1831

Rio Espírito Santo

Thamnomanes caesius

Wied 1831

Rio Iritiba; Vila Nova de Benevente

Conopophaga melanops

Wied 1831

Muribeca, rio itabapuana

Carpornis melanocephalus

Wied 1820,1830

Quartel das Barreiras, rio Itabapuana

Cotinga maculata

Wied 1830

Rio São Matthaeus

Attila spadiceus

Wied 1831

Rio Doce

Pyroderus scutatus

Wied 1820

Vila Nova de Benvente

Pipra rubrocapilla

Wied 1820,1830

Barra do Jucu, rio Espírito Santo

Pipra pipra

Wied 1820

Barra do Jucu

Machaeropterus regulus

Wied 1820

Barra do Jucu

Chiroxiphia pareola

Wied 1820,1830

Barra do Jucu, rio Espírito Santo

Tyrannus melancholicus

Wied 1831

Rio Espírito Santo

Myiodynastes maculatus

Wied 1831

Muribeca, rio Itabapuana

Pitangus lictor

Wied 1831

Rio Doce

Hirundinea ferruginea

Wied 1831

Rio Espírito Santo

Platyrinchus leucoryphus

Wied 1831

Rio Itapemirim

Rhynchocyclus olivaceus

Wied 1831

Rio Itapemirim

Camptostoma obsoletum

Wied 1831

Barra do Jucu

Progne chalybea

Wied 1820

Quartel do Riacho

Campylorhynchus turdinus

Wied 1831

Rio Doce

Turdus fumigatus

Wied 1831

Rio Espírito Santo

Cyanerpes cyaneus

Wied 1820,1831

Barra do Jucu

Dacnis cayana

Wied 1831

Rio Espírito Santo

Tersina viridis

Wied 1820

Barra do Jucu

Tangara cyanoventris

Wied 1820,1830

Rio Jucu

Ramphocelus bresilius

Wied 1820

Ciri

Schistochlamys melanopis

Wied 1830

Rio Espírito Santo

Psarocolius decumanus

Wied 1831

Vila Velha do Espírito Santo

Icterus cayanensis

Wied 1831

Rio Itapemirim

Sporophila collaris

Wied 1830

Rio Espírito Santo

Oryzoborus maximiliani

Wied 1830

Rio Espírito Santo

Volatinia jacarina

Wied 1820,1830

Araçatiba e Coroaba

Ammodramus humeralis

Wied 1830

Muribeca (rio Itabapuana)

Acima: Retrato do Príncipe Maximiliano de Wied-Neuwied com o Botocudo Quack. de J. H. Richter (1828). Óleo sobre tela. Coleção Robert Bosch, Stuttgart. 

Passeio de barco num braço do rio Doce. Estampa frontal à pg. 154 em Wied (1940)

 

Referências:

Bauer, C. (1999) Padrões atuais de distribuição de aves florestais na região sul do Espírito Santo, Brasil. Dissertação de Mestrado (Zoologia), Museu Nacional do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Berger, M. (1995) Über Maximilian zu Wied’s ornihologische Forschungen in Südost-Brasilien und die Änderungen der Avifauna der Mata Atlantica. Fauna Flora Rhld-Pf. Beiheft 17:281-312.

Bokermann, W. C. A. (1957) Atualização od itinerário da viagem do Príncipe de Wied ao Brasil (1815-1817). Arq. Zool. S. Paulo 10(3):209-251.

Ihering, H. von (1899) As aves do Estado de S. Paulo. Rev. Mus. Paulista 3(1898): 113-476.

Pelzeln, A. von (1870) Zur Ornithologie Brasiliens. Wien: Pichler’s Witwe & Sohn.

Pinto, O. M. O. (1979) A ornitologia do Brasil através das idades (século XVI a século XIX). São Paulo: Empresa Gráfica da Revista dos Tribunais. [Brasiliensia Documenta XIII]

Reinhardt, J. (1870) Bidrag til Kundskab om Fuglefaunaen i Brasiliens Campos. Vidensk. Meddel. Naturhist. Foren. Kjöbenhavn.:1-124,315-457.

Rocha, L. (1971) Viajantes estrangeiros no Espírito Santo. Brasília: Editora de Brasília.

Rocha, L. (1973) Wied, Freyress e Sellow no Espírito Santo. Rev. Inst. Hist. Geogr. Bras. 297(1972):56-67.

Wied [-Neuwied], M. Prinz zu (1820-1821) Reise nach Brasilien in den Jahren 1815 bis 1817. Frankfurt [am Main]: Heinrich Ludwig Brönner.

Wied [-Neuwied], M. Prinz zu (1830-1833) Beiträge zur Naturgeschichte von Brasilien, 3-4. Weimar: Landes-Industrie-Comptoirs.

Wied [-Neuwied], M. Prinz zu (1850) Nachräge, Berichtigungen und Zusätze zu Beschreibung meiner Reise im östlichen Brasilien. Frankfurt [am Main]: Heinrich Ludwig Brönner.

Wied [-Neuwied], M. Príncipe de (1940) Viagem ao Brasil. Tradução de Edgard Süssekind de Mendonça e Flávio Poppe de Figueiredo, refundida e anotada por Olivério Mário de Oliveira Pinto. São Paulo: Cia Ed. Nacional. [Brasiliana, Série 5a, Grande Formato, Vol. 1]

Wied [-Neuwied], M. Príncipe de (1958) Viagem ao Brasil. 2a edição. Tradução de Edgard Süssekind de Mendonça e Flávio Poppe de Figueiredo, refundida e anotada por Olivério Mário de Oliveira Pinto. São Paulo: Cia Ed. Nacional. [Brasiliana, Série 5a, Grande Formato, Vol. 1]

 

Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. Endereço para correspondência: Rua Visconde de Ouro Preto 71, ap. 103. Rio de Janeiro. E-mail: jfpcbc@ax.apc.org

 

AO - SERVIÇOS - LINKS
Você pode enviar perguntas ou comentários sobre este site para ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS.
Send mail to ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS with questions or comments about this web site.
Última modificação (
Last modified
): 23 novembro, 2020