Zimmerius chicomendesi  poiaeiro-de-chico-mendes Foto Fabio Schunck [AO 174]

Novas espécies de aves na Amazônia

Por Luís Fábio Silveira*

O grupo das aves é, de longe, o mais bem conhecido de todos os vertebrados. Sabemos mais sobre qualquer aspecto da riqueza, ecologia, história natural e ameaças que pairam sobre elas do que sabemos sobre qualquer outro grupo animal. Ainda, a maioria das espécies de aves “funciona” no mesmo horário que nós, possui vocalizações chamativas, plumagens muitas vezes exuberantes e comportamentos complexos, o que torna este grupo muito popular. Estas características acabam também atraindo uma grande e expressiva comunidade de não-profissionais dedicados à observação e ao estudo das aves, e muitos destes observadores fazem contribuições relevantes à ornitologia.
Graças especialmente aos atributos acima considerava-se que a diversidade de espécies de aves encontrava-se praticamente toda descrita, e que genuínas novas espécies seriam quase uma raridade. De fato, se compararmos a taxa de descrição de novas espécies de aves no mundo todo com o número de espécies novas de peixes ou de anfíbios, por exemplo, podemos considerar este raciocínio como correto. Entretanto, esta baixa taxa de novas espécies descritas nos dava a percepção de que já sabíamos tudo, ou quase tudo, sobre este tema.
Entretanto, a coleta científica de mais espécimes em campo, associados às gravações de seus cantos e aos estudos genéticos, vem nos mostrando uma perspectiva inteiramente diferente. A recente descrição de 15 novas espécies de aves apenas no Bioma Amazônia por pesquisadores de diversas instituições brasileiras e do exterior, liderados principalmente pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), Louisiana State University, Museum of Natural Science (LSU) e Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZUSP), mostra que ainda há muito o que ser feito no Brasil. Os esforços de mais de 20 pesquisadores, especialistas nas mais diferentes áreas da biologia e apresentados no mais recente volume do Handbook of the birds of the world apontam para a necessidade de mais coletas e mais pesquisas em todo o Brasil, apontando também muitas lacunas no nosso conhecimento sobre a riqueza e diversidade de aves neotropicais.
O conhecimento mais refinado da nossa biodiversidade é essencial para que possamos entender como surgiu e se mantem a fabulosa avifauna amazônica. Ainda, tão importante quanto saber quais foram os processos que originaram e que mantem esta diversidade, um conhecimento mais preciso vai permitir que possamos manejar e conservar os nossos recursos naturais da maneira mais inteligente e sensata possível.

* Museu de Zoologia da
Universidade de São Paulo (MZUSP)

 

 

AO - SERVIÇOS - LINKS
Você pode enviar perguntas ou comentários sobre este site para ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS.
Send mail to ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS with questions or comments about this web site.
Última modificação (Last modified): novembro 12, 2019