Paroaria coronata, cardeal  (C) Tony Bichinski

Perfil: o fotógrafo Tony Bichinski


Fernando Costa Straube  


Para muitas pessoas, as grandes dificuldades encontradas na vida são motivo para desistência. São, porém, motivo de seleção, quando a persistência e abnegação – juntas – formam o pretexto perfeito para que um objetivo de vida seja cumprido com todos os méritos. Por diversas ocasiões, Tony Bichinski poderia ter desistido.
Ele deve ter sido uma daquelas crianças que não sossegam enquanto não chega a noite, após gastar o dia inteiro acompanhando os movimentos da natureza e correndo atrás dos pássaros.
Se não foi isso que aconteceu, pouco depois de ter nascido na capital paranaense em 1987, ele ficou desse jeito após crescer.
Só pode ser!
Já crescido concluiu o curso de Engenharia Florestal pela União Latino-americana de Tecnologia. Mas não sossegou.
A partir dali radicou-se em Jaguariaíva, diga-se de passagem, o primeiro lugar paranaense a ser pisado por Johann Natterer, naturalista-maior do Brasil em 1820. Entre idas e vindas para a vizinha Piraí do Sul, acumulou informações, documentos e reflexões.
Tornou-se quase um tropeiro, visitando os mais distantes esconderijos, jamais profanados senão pelos pássaros – posto que eles eram o seu objeto de interesse.
Hoje, ele se dedica às aves, mas não superficialmente e sim como estudioso e interessado em divulgar tudo o que vê e minuciosamente observa. Tornou-se um especialista - título que irá negar, por pura modéstia - em reprodução de aves, abrindo a cabeça para tudo o que diga respeito ao assunto. Acompanha todos os ciclos, atento aos detalhes que se modificam sutilmente ano após ano, nos Campos Gerais paranaenses. Sabe onde as aves estão e com habilidade encontra raridades, algumas delas dignas de surpresa pelos mais habilitados e experientes. Caminha, sem trégua, pelos campos, cerrados, afloramentos, peraus e se embrenha na mata, onde também encontra a mais pura afinidade.
Certa vez, mostrou-me um ninho pendente muito ao longe e disse: “Atenção, ali há um vespeiro!” A princípio não vi lógica alguma naquilo, pois apenas havia lido a respeito em tratados empoeirados. Eis que lá estava o problema, escondido dos olhos, mas pronto para nos dar uma recepção nada amistosa. Fui caminhando e observando. A cena se repetia para outros ninhos e, assim, o que há minutos me soava como uma peculiaridade, mostrou-se ser a norma, o padrão.
E como se não bastasse, a sua sensibilidade não se resume ao que vêem seus atentos olhos mas, também, ao que ele pode mostrar para as pessoas. O resultado aqui está. Flagrantes únicos e especialíssimos, da reprodução das aves, materializado de acordo com as leis que regem cada espécie.
Que de agora em diante não se aprecie essas imagens apenas pelo instante impresso. Toda uma paixão dedicada e incansavelmente praticada está nele acompanhado. Tony, eu creio, é um exemplo de gente que nos prova a todo o momento que a beleza é muito mais do que aquilo julgado simplesmente belo. Suas fotos não são apenas cromos coloridos; são crônicas de milagres.

 

 

AO - SERVIÇOS - LINKS
Você pode enviar perguntas ou comentários sobre este site para ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS.
Send mail to ATUALIDADES ORNITOLÓGICAS with questions or comments about this web site.
Última modificação (Last modified): julho 23, 2015